domingo, 1 de junho de 2008

Ele veio. Todo sem jeito, mas veio. Ele chegou, me deu um beijo no rosto e eu o convidei para entrar. A gente sentou na cama e ficou um silêncio.. Ele tava com um cheiro muito bom e me deu vontade de apertar. Eu esperei ele falar, mas ele não disse nada. Então eu perguntei o que tinha acontecido na noite passada, e ele respirou fundo e disse que ele e a 'tal' tinham se reconciliado. Eu perguntei se foi bom, e ele disse que foi ótimo, ficou com ela lá a noite toda e na verdade tinha ficado com ela até agora a pouco. Eu só fiquei resmungando coisas do tipo "então tá", "desde que tu seja feliz, né e não-sei-o-quê. Foi engraçado porque tava um super constrangimento, principalmente da minha parte, e do nada a gente começava a falar de coisas nada a ver e isso foi meio bom, porque afinal de contas eu gosto disso nele! E.. eu perguntei se ele tinha me bloqueado no msn (a prima tinha dito) e ele disse que não. E eu disse que não devia ter permitido que ele sentisse sono na sexta-feira, que esse fora o meu maior erro. Que era o preço por ser uma pessoa boa e compreensiva. E repeti baixinho que eu era uma pessoa boa. Eu estava de pernas-de-índio e só conseguia olhar pra barra da minha calça. Não conseguia olhar pra ele, muito horrível. Ele ficava mordendo os dedos e o celular e eu só pensava "morde eu"! Eu disse que era um péssimo momento pra isso acontecer e ele disse "se tu tivesse vindo uma semana antes.." sabe!? E ficava aquele silêncio, cheio de imaginações. A gente se olhava às vezes, e que dor que dava! Tipo ele deve ter ficado uma hora aqui e a maior parte do tempo foi de silêncios. Eu perguntei "ahm.. eu acho que já era pra ter ficado implícito mas, só pra ter certeza, tu vai ficar só com ela agora?" e ele só acenou com a cabeça, dizendo que sim. E daí disse "ah, se fosse a dois anos atrás eu nem ligava" e eu pedi explicação, e ele disse que antes ele era um inconseqüente.. que agora não era certo ele brincar comigo e brincar com ela também. Que ele não estava fazendo isso só por ela, mas por mim e por ele também. Mais silêncio. Mais conversa sobre outros assuntos. Ele começa a dizer que vai embora. Levanta. Eu pergunto pra ele se na sexta ele já sabia que aquilo ia acontecer, e ele diz que não. Eu perguntei se eu tinha feito alguma coisa errada, ou deixado de fazer alguma coisa (aff..), e ele disse que não.. que eu não fiz nada. Que ele adorou ficar comigo, mas que eu sempre soubera, eu sempre estive ciente de que ele gostava da 'outra' e tals. Furungou um pouco nas coisas que estavam ao alcance e disse o derradeiro "então tá", que pra ele é sinal d despedida, e eu disse "senta aqui". E ele sentou, bem perto. Eu queria dizer que era uma péssima hora pra dizer aquilo, mas que eu gostava dele e tals, mas não deu. Não consegui. Era muito desnecessário, sabe!? Daí eu tive que pensar em alguma coisa pra dizer, porque ele tava ali muito perto e me olhando. Daí eu perguntei sobre aquelas coisas que ele me disse na mensagem, o que tinha acontecido pra mudar tanto da noite pro dia. E ele disse "não é que tenha mudado..". E eu disse "é óbvio que mudou, um monte!" E ele disse que não. E eu pedi que me explicasse, então.. ele disse um monte de coisas, tipo que tinha sido uma coisa muito linda e o amor dele por ela tinha voltado com força total e não sei o quê.. e eu deixei quieto. Só disse "que saco isso" olhando pra minha meia. E pra minha meia fiquei olhando. Ele passou a mão no meu cabelo, fez um carinho na minha nuca, me puxou e me deu um beijo na testa que me arrepiou até a alma. Eu olhei pra ele e disse "a gente vai ser amigos?" e ele disse "espero q sim". Eu disse que ia deixar ele ir embora e levei ele até a porta. Ele me deu um beijo na bochecha direita e eu me agarrei no pescoço dele e dei um super abraço.. ele retribuiu e eu senti que ia chorar. Soltei ele e disse "vai", toda embargada. E ele foi.

Mas tudo isso aconteceu a muito tempo.

Um comentário:

[menina diane] disse...

estou precisando de emoções assim.